domingo, 28 de fevereiro de 2010

LIQUIDA RIO GRANDE versão.2

Si on pouvait cuisiner avec Photoshop...

Adobe Photoshop Cook from Lait Noir on Vimeo.

Paper War



Papierkrieg from Makaio Tisu on Vimeo.

Chicago, RS



Adão Paiani (*)

Longe do Rio Grande, a notícia da execução do Secretário de Saúde de Porto Alegre, ex-Vice Prefeito da capital dos gaúchos, Eliseu Santos, choca, mas não surpreende. É somente mais um episódio de uma saga que vem assolando o Estado de forma avassaladora; em especial nos últimos quatro anos. Um desdobramento natural de tudo aquilo que temos presenciado e que muitos têm procurado alertar às cabeças ainda pensantes dessa terra, sem grande sucesso. Pelo menos por enquanto.

Uma coisa é certa: nunca, em momento algum da nossa história, os gaúchos puderam presenciar situações tão desavergonhadamente explícitas de banditismo político como as que vemos agora. Sejamos francos; ninguém, em sã consciência, pode ter a pretensão de encontrar, para o mais recente assassinato, outro motivo que não seja um acerto de contas típico de quadrilhas mafiosas; como as que assolavam Chicago, nos anos 30 do século passado. E a analogia não se resume a isso.

Vivemos um processo acelerado de degradação político-institucional que atacou as estruturas do Estado, através de uma quadrilha especializada e constituída empresarialmente para saquear os cofres públicos e que, consciente da impunidade, garantida pela extensa rede de relacionamento de seus agentes; hoje dá as cartas no Rio Grande. E não se preocupa mais em blefar.

Essa quadrilha, da qual fazem parte elementos facilmente identificados; onipresentes nas diferentes esferas de poder e em todos os episódios de sangria dos cofres públicos, denunciados nos últimos anos, têm a seu favor uma bem calculada morosidade na ação daqueles a quem caberia coibir esse tipo de prática.

Contam também com a apatia de parcela significativa da população, anestesiada por uma mídia cúmplice, que comprova seu grau de infiltração tentacular e invasiva. Uma verdadeira cleptocracia; com a qual poucos segmentos da sociedade riograndense não estão comprometidos. Essa é a realidade, a qual somente poderá ser superada na medida em que compreendermos seus mecanismos e, a partir daí, a combatermos.

As balas que vararam o corpo do Secretário da Saúde de Porto Alegre, na saída de uma Igreja, na frente de sua mulher e filha, são a versão cruenta de outras que tem atravessado, impunemente, o que resta da consciência cívica de um povo. Seja sob a forma de uma CPI da Corrupção, impedida de apurar denúncias graves de desvios de dinheiro público; na manutenção e prestigiamento, dentro da administração pública, de agentes notoriamente envolvidos com irregularidades e na impunidade generalizada observada em todas essas situações.

O crime da Rua Hoffmann somente se concebe num ambiente em que todos os limites foram ultrapassados. Onde se presencia a lentidão de uma Justiça em julgar e responsabilizar as aves de rapina do erário, que mesmo denunciados, continuam a flanar, solenes, tanto em cerimônias públicas quanto nas colunas sociais.

Onde dirigente de instituição financeira pública, apontado por irregularidades, aguarda o salvo conduto de uma indicação a vaga de Magistrado. Onde as estruturas da segurança pública são utilizadas com finalidades políticas, monitorando, perseguindo e coagindo tanto aliados de ocasião como adversários políticos. Onde as ações legislativas são pautadas pela cumplicidade com aqueles a quem deveria fiscalizar; e por uma covardia explícita, somente justificada pelo medo dos próprios pecados praticados.

Onde o dirigente máximo de Tribunal responsável por fiscalizar as contas do Estado, flagrado em conversas indecentemente comprometedoras, sai ileso para a aposentadoria. Onde membro do Legislativo, indicado ao mesmo Tribunal; mesmo tendo demonstrado tanto absoluta incapacidade técnica quanto falta de condições morais para tal, assume vaga de Consiglieri da mesma corte. Tutti in Famiglia.

Somente em um canto de mundo onde coisas assim sejam possíveis é que se admite o assassinato, em via pública de grande movimento, mesmo naquele horário, de uma autoridade. Somente a certeza absoluta de impunidade é capaz de justificar ato tão audacioso.

Às vésperas de um processo eleitoral, o que se espera, mais do que promessas vãs, típicas da politicagem tradicional, é quem vai ter a coragem suficiente de enfrentar e derrotar esse establishment criminoso e resgatar ao menos o pouco da vergonha que ainda nos resta. Sem o que, vamos continuar com a notória fanfarronice gaudéria, decantando nossas duvidosas virtudes, vestindo nossas pilchas esfarrapadas.

Ou encontramos alguém com coragem suficiente de ser nosso Eliot Ness, ou é melhor nos acostumarmos com execuções em via pública, restaurantes, barbearias. Como na Chicago de Al Capone.

(*) Advogado

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Botânica Federal




Ruta graveolens L.


Nomes comuns:
Arruda, Arruda-comum, Arruda-dos-jardins, Arruda-das-boticas, Erva-das-bruxas, Erva-da-graça



Partes usadas: Folhas e caules tenros. Em fitoterapia é usada fresca, de preferência. Também pode ser usada seca mas é mais fraca. Em Magia utilizam-se todas as partes da planta, fresca ou seca. A colheita deve ser feita antes da floração.

Propriedades medicinais: estimulante, anti-espasmódica, anti-tússica, emenagoga, abortiva, rubefaciente.

Uso medicinal: Indicada para regulariza o fluxo menstrual. Serve também para tratar as dores de cabeça e as palpitações provocadas por ansiedade, baixa a tensão arterial, acalma a tosse e as cólicas. As folhas esmagadas e aplicadas sobre o corpo aliviam a dor ciática. As compressas embebidas numa infusão forte e eplicadas sobre o peito aliviam os sintomas da bronquite crónica.

Contra-indicações e cuidados: A planta é tóxica e só deve ser usada em tratamento quando acompanhado de um fitoterapeuta qualificado. Quando usada internamente, evitar tomá-la logo após as refeições. O óleo essencial é extremamente forte e não deverá ser usado para aromaterapia nem deverá ser posto em contacto com a pele. O seu uso e completamente interdito a grávidas.

Uso culinário: Tem um gosto amargo e deve ser usada com muita moderação. Ainda assim, fica bem em saladas e molhos, bem como na tradicional sopa de enguias de Hamburgo da qual faz parte.

Uso doméstico: A Arruda tem o dom de afastar toda a espécia de bicharada incómoda, desde moscas a formigas e traças, bem como às pulgas dos animais domésticos. No jardim consegue proteger as outras plantas de diversas pragas.

Usos mágico-religiosos: O seu nome deriva do grego reuo e significa "libertar" pois é, por excelência, uma erva que limpa e expurga de todos os males. O costume de utilizar esta planta para protecção energética é antigo e difundido por várias culturas. Na simbologia cristã é associada ao arrependimento e à purificação. Outro dos seus nomes "Erva-da-graça" deve-se ao facto de ter sido utilizada para aspergir a água-benta antes da missa dominical, bem como durante os exorcismos. Na tradição islâmica também é muito especial, pois foi a única erva que o profeta Maomé abençoou. A arruda entra na preparação de numerosos defumos, misturas e amuletos destinados a proteger pessoas e bens. Desde sempre tem sido usada para desfazer feitiços e repudiar o mau-olhado, sendo um dos ingredientes do famoso "Vinagre dos Quatro Ladrões", bem como de outras poções tradicionais. Na Europa medieval difundiu-se o seu uso em ramos dependurados e em lavagens para proteger da peste, de feitiçaria e de outros malefícios. A arruda também é usada para o amor, para consagração e boa sorte.

Planeta regente: Marte

Elemento: Fogo

Divindades associadas: Marte / Ares, Diana, Aradia

Indicações de cultivo: É uma planta nativa do Sul da Europa. Necessita de estar no exterior, apreciando o sol directo apesar de também tolerar a meia-sombra. Adapta-se bem a viver em vaso. A terra deve ser mantida húmida mas sem encharcamento (pode-se regar por baixo). Chegando ao Outono, a planta começa a secar e nessa altura deve-se podar para que ela ganhe força para a estação seguinte.

Sinónimos botânicos: Ruta hortensis Mill.

Para visitar a nossa secção de ervas clique aqui.
curtura regional





Banana Song (I'm A Banana)
Saúde - RS

Paraolimpíadas - 2010

Amor Antigo

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

...da série: "I Love Cats"


CAMPANHA da FRATERNIDADE

séc. XIX

domingo, 21 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

domingo, 14 de fevereiro de 2010

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

PL - Sátiro

NOTA: Sátiro propõe um Projeto de Lei (PL) tornando "recomendável" que toda tela de CallCenter, TeleMarquétchim e similares tenham como pano de fundo o "WARNINGUI" acima.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010